Matérias

Alimentos transgênicos x Saúde

Alimentos transgênicos x Saúde

Os alimentos transgênicos, ou organismos geneticamente modificados são transformados de sua condição natural, por meio de uma manipulação onde são incluídas informações genéticas extraídas de vírus e bactérias. Isso resulta em sementes resistentes a seus próprios agrotóxicos, ou mesmo sementes que produzem plantas inseticidas. A transformação de uma planta tem implicações sobre os alimentos gerados a partir dela. Um exemplo disso é o fato de que estudos já confirmaram que a proteína inseticida que o milho transgênico Bt (incorporado por uma toxina isolada da bactéria Bacillus thuringiensis) carrega em todas as suas células, foi encontrada no sangue de bebês ainda no útero materno.

Um dos objetivos dos alimentos geneticamente modificados é a melhora na qualidade dos alimentos, o aumento da produção e a resistência às pragas. São modificados também para que o seu amadurecimento seja prolongado, resistindo por muito mais tempo após a colheita. Já os vegetais podem sofrer modificações visando o seu aumento de tamanho, enquanto que outros são modificados para resistirem ao ataque de vírus e fungos.

No entanto, ainda há muita desconfiança dos consumidores sobre esses alimentos, já que o público teme possíveis efeitos negativos dos transgênicos para a saúde e o meio ambiente à longo prazo. Por outro lado, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) garantem que os transgênicos são seguros e que a tecnologia de manipulação genética é realizada sob o controle dos protocolos de segurança.Apesar do Brasil cultivar mais de 20 milhões de hectares de transgênicos, entre soja, milho e algodão, o fato é que não existem até o momento informações conclusivas sobre a segurança dos mesmos. A literatura não relata evidências nem estudos conclusivos sobre os efeitos potenciais adversos, das novas proteínas e toxinas resultantes da modificação genética e suas expressões, sobre a saúde humana, animal e ambiental. As preocupações se justificam, especialmente, pela ausência de estudos de longo prazo.

Diante desse contexto devemos ter cautela ao consumirmos produtos transgênicos, até que estudos independentes e conclusivos garantam sua inocuidade, pois apesar das empresas ganharem com isso, a nossa saúde e o ambiente onde vivemos podem sofrer alguns riscos. Para que o consumidor não seja pego de surpresa e compre um alimento transgênico sem saber, foi publicado um decreto de rotulagem obrigando empresas da área da alimentação, produtores e quem mais trabalha com venda de alimentos no Brasil a identificarem os produtos que foram geneticamente modificados. Afinal é direito do consumidor escolher se deseja ou não comprar e consumir alimentos transgênicos. O símbolo é um “T” dentro de um triângulo amarelo.

 

Extraído e adaptado de:

http://www.guiadenutricao.com.br/alimentos-transgenicos/

http://areaslivresdetransgenicos.org.br/portal/anexos/Conselho_federal_%20nutricionistas_transgenicos.pdf

http://www.ibnfuncional.com.br/_site/

 

 

Transgênicos

Voltar