Matérias

Nós somos nossas escolhas

Nós somos nossas escolhas

As escolhas alimentares que fazemos diariamente dizem muito sobre nosso estado de saúde, os sinais e sintomas que apresentamos e a presença ou não de certas doenças. Por isso é tão importante que tenhamos um equilíbrio nutricional, com a ingestão adequada de nutrientes que irão nutrir as células para que as mesmas desempenhem suas funções corretamente, reduzindo os riscos do surgimento de doenças. Mas é importante ressaltar que cada pessoa responde de forma diferente a determinados alimentos, pois cada organismo é único.  Portanto nossas escolhas alimentares não devem se basear em dietas da moda ou no que a mídia ou redes sociais impõem como saudável ou não saudável, pois a alimentação diária deve respeitar nossas características e necessidades individuais.

Deve-se garantir, por meio da alimentação, quantidade de macronutrientes (carboidratos, proteínas e lipídios), micronutrientes (vitaminas e minerais) e compostos bioativos necessários para cada indivíduo e que, em conjunto, serão essenciais para o bom funcionamento do organismo. Por isso, na busca por uma alimentação mais balanceada e saudável, devemos sempre buscar orientação individualizada de um profissional capacitado (Nutricionista), para não cairmos em algumas armadilhas. Por exemplo, produtos descritos como diet e light não são, obrigatoriamente, produtos mais saudáveis. Muitos alimentos com essa classificação podem conter substâncias químicas como aditivos, corantes, conservantes e adoçantes que, em excesso, são prejudiciais à nossa saúde. Além disso, devemos sempre optar por alimentos mais naturais.

A indústria alimentícia também tem grande influência sobre nossas escolhas, por meio de diversas propagandas que mostram possíveis benefícios à saúde associados ao consumo de seus produtos, alegando que são integrais, naturais e saudáveis. Portanto devemos estar atento aos rótulos – os quais denunciam estes produtos ao mostrarem a presença de ingredientes não saudáveis como alta quantidade de gordura, açúcar, xaropes de glicose ou frutose, farinhas refinadas, sal e vários outros aditivos químicos. Esses compostos químicos contribuem de forma expressiva para o surgimento de vários sinais e sintomas que muitas pessoas apresentam, como enxaqueca, constipação intestinal ou diarreia – interferindo na saúde intestinal e em sua capacidade de absorver nutrientes, podendo resultar em vários desequilíbrios orgânicos, como por exemplo, deficiências nutricionais (associadas a queda de cabelo, unhas fracas, maior fragilidade dos ossos, problemas de pele, envelhecimento precoce, falta de energia e indisposição), hiperatividade, ansiedade, prejuízos na memória, alterações de humor e capacidade de aprendizado, inchaço e prejuízos ao sistema imunológico, aumentando os riscos de gripes e infeções. Além disso, o consumo exagerado destes produtos, associado a uma alimentação desequilibrada, pode gerar doenças, como diabetes, aumento de colesterol, hipertensão, obesidade, doenças do coração, fígado, intestino e rins. E é por isso que nossa alimentação diz muito sobre o que somos e o que sentimos!

Uma alimentação balanceada e equilibrada é essencial para promover saúde e qualidade de vida, resultando em peso corporal adequado, mais beleza e bom equilíbrio da mente e das emoções.

Extraído e adaptado de:

https://www.vponline.com.br/portal/noticia/141/voce-e-o-que-voce-come

 

Voltar